Não deixe a moda engolir você

estar na moda
Bombardeados por tendências e novas coleções nos sentimentos perdidos entre tanta diversidade. E até mesmo culpados naquele dia que acordamos atrasados, escolhemos a primeira camisa que vemos pela frente e saímos sem nem tocar na necessaire. Vestindo meu allstar velho, uma babylook listrada e jeans azuis eu me perguntei: Quando deixei de me importar com a moda? Até que percebi que isso nunca aconteceu. Não fui eu que mudei, foi a minha relação com a moda.

Andei revisando os looks antigo e encontrei tantas estampas, cores e estilos diferentes. Me surpreendi com a mudança de escolhas. Me senti distante do passado. Não julgo como negativo ou positivo, foi um movimento que aconteceu naturalmente, sem eu nem sentir. Quando vi, as camisas básicas me agradavam mais do que as flores. Fui deixando de lado os saltos que me traziam uma pseudo confiança pelos meus tênis quase sempre mal amarrados. As camisas mais larguinhas entraram no meu guarda roupa, que agora tem alguns espaços sobrando já que diminuí a quantidade de peças que eu compro por mês. 
Entender que moda vai além do que você veste, é o primeiro passo para você conseguir fazer parte desse mundo sem ser engolido por ele. Não falo somente de moda consciente. Comprar buscando entender os processos de produção da marca, verificar suas fontes e tentar reaproveitar mais suas peças é importante, claro. Mas falo da sua essência na moda. Você não é o que você veste. A moda é o que você sente.

É ter o prazer de em uma Terça inusitada receber um convite pra sair e mesmo sendo dia de semana se produzir como se fosse a noite da sua vida. Incluindo ter um mini ataque buscando a peça ideal, olhar referências no Pinterest e buscar ideias de maquiagem no Youtube. A liberdade de passar a Sexta Feira em uma tshirt com um escrito idiota e sair pro shopping usando calça moletom sem medoTer a sensação que o que você veste está conectado com o que você está vivendo internamente.
É escolher tendências que combinam com  você e se apropriar delas. Adaptar pra que elas fiquem do seu jeito e no fim, ter como resultado um look que é a sua obra de arte.
É saber quais são suas referências, quem você admira e compreender o que a moda representa na sua vida. 

Não seja da moda, viva ela.

Hoje já não tenho mais dúvidas, a moda nunca saiu de mim.

Beijos,
Gabriela Alegre

2 Comments

  1. Creio que o passar dos anos vamos nos entrando, tanto em estilo quando em outras perspectivas. Quando somos crianças nossas mães escolhem nossas roupas isso pode durar até uns doze anos dependendo da situação, acabamos que seguindo o fluxo do que muitas vezes ela escolhe para nós, ao longo do tempo vamos criando uma identidade algumas antes algumas depois, e a moda ela nos proporciona a conhecer estilos e tendência que podemos nos encontrar e gostar tanto que acabamos adquirindo tal coisa por muito tempo. O coturno uma vez era uma febre e se não fosse talvez eu nunca fosse descobrir que amo botinhas curta e coturnos e não usaria até hoje e assim vai.
    Eu sou contra as pessoas que se forçam a gostar de algo por ser moda, acho que ela tem tantos caminhos, porque não podemos encontrar o que nós sentimos mais confortáveis?
    vixi acho que me empolguei no assunto e falei demais.

    simplesmenteassimj.com.br

  2. Com o tempo a gente acha o nosso estilo e nem se quisermos conseguimos sair dele haha Eu ando tentanto restagar um lado meu de antigamente, mas está bem complicado, tem coisas que não gosto mais e outras que acho que vou usar até sendo velhinha haha

    Um beijo,
    Foca no Glitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *