Minha experiência tirando a habilitação de motorista na Argentina

Meu período na universidade argentina ta chegando ao fim. Com isso também chegaram as provas e entregas de projetos. Ou seja, muita, muita, muita coisa. Entre a universidade e meus passeios pela cidade mágica, comecei a auto escola. De novo.
Acho que nunca comentei isso no blog, mas antes de viajar, fiz o curso teórico de 45 horas (que exagero!), mais todas as aulas práticas no Rio de Janeiro, através do “nosso querido” Detran.
Quando fiz a prova prática fui reprovada com 3 pontos, até hoje nao sei como, já que o aluno só é reprovado se tiver mais de 3. Cheguei a recorrer no Detran, ficaram me enrolando, a data da minha viagem chegou e lá se foi o dinheiro que eu gastei na auto escola. Como eu queria muito a habilitação, procurei saber como é o processo na Argentina. Acabou sendo muito mais rápido e simples do que no Brasil, olha só como funciona:

Turno:
O primeiro passo para dar inicio ao processo é conseguir uma vaga para os exames básicos (visão, psicológicos, auditivos, médicos) e para a prova teórica. Todos esses exames são realizados no mesmo dia, em alguma sucursal do governo na cidade. Para reservar uma data, você pode ligar para o 147 , ramal do governo, ou visitar o site .
Estando com a data reservada, é só buscar uma auto escola para realizar o curso teórico e começar a praticar.

Teórico:
São obrigatórias 5 horas de aula teórica. Sim, só cinco mesmo.
Algumas sucursais do governo oferecem o curso gratuitamente, com duração de três dias. Se não, você tem a opção de pagar o curso teórico na auto escola, que tem o valor médio de 100 reais e em uma manhã já esta concluído. Bem diferente do Brasil!
Aqui não tem a burocracia de só começar as aulas praticas quando o teórico tiver terminado. Eu, por exemplo, quando fui para a aula teórica, já estava na minha 8º aula prática.

Aulas práticas
Ninguém é obrigado a ter aulas com um instrutor da auto escola. Se você tiver um pai legal, namorado, ou amigo que queira te ensinar, tudo ótimo!
Caso escolha fazer aulas com um profissional, é só escolher a escola que quiser, lembrando que não precisa ser a mesma que você fez o curso teórico.
No meu curso prático, cada aula tinha uma duração de 30 min. Com quinze aulas já me senti segura para fazer a prova e dirigir por aí. Sem esquecer que eu já tinha feito aulas antes, ok? E cada um tem seu tempo de aprendizagem.

Exames
A surcursal, La Roca,  aonde realizei os exames básicos foi reformada há alguns meses. O lugar é super organizado e o processo não demora muito. Na parte de visão testam se você consegue enxergar quatro números de diferentes tamanhos. No de audição, você coloca um fone de ouvido e tem que dizer de qual lado (direito ou esquerdo) você esta escutando o som. Repetem o processo em vários volumes. O psicológico é o mais demorado. Te pedem para copiar as figuras de uns cartõezinhos que eles te dão, tentar desenhar com o mesmo tamanho e posição. Depois rola uma entrevista rápida. A avaliação do médico são só algumas perguntas de rotina e ela te pede para levantar os braços. Pronto. Rápido e eficaz, hahah. Nesse dia você já tira a foto que vai aparecer na carteira, então melhor ir arrumadinho :p

Prova teórica
O governo disponibiliza no seu site, 230 perguntas que podem cair na prova. Desse manual, são escolhidas aleatoriamente 30 questões para a prova, que é realizada em um computador e tem duração máxima de 45 min.
É um manual que ajuda demais. Se você focar em estudar as 30 páginas e tiver uma boa memória, não vai ter problema algum no dia da prova. Eu praticamente memorizei e aprendi todas as perguntas. Consegui acertar 30 de 30 em 5 min. VIVA!

Prova prática
Ser testado nunca é fácil, você sente frio na barriga, fica nervoso e faz tudo que não devia. Na hora da minha prova prática não foi diferente. Entrei no carro avisando que estava nervosa, hahah, isso não se faz, ok? Tive a sorte de ter um fiscal legal do meu lado, que disse pra eu respirar e tomar meu tempo.
O circuito começou com uma curva simples, depois tive que estacionar, fazendo a famosa ‘baliza’, esse ponto aqui foi mais fácil que no Brasil, já que eles não cobram as setas o tempo inteiro, só na hora de sair com o carro. Ufa, menos uma preocupação. Estacionei tranqüilamente, mais uma curva, subi e desci uma ponte. Enquanto eu dirigia tentando manter a calma, o fiscal ia me perguntando coisas sobre o Brasil hahah. Mais uma curva e chegamos ao pesadelo: A rotatória que tem que ir de ré.
Treinei várias vezes durante as aulas práticas, na hora dava certo, mas ainda assim, era a parte do circuito que estava menos confiante.
Respirei fundo, arrumei o espelho, e só pressionando a embreagem fui dando a volta. Em um momento quase acertei o meio fio, mas foi quase. Mais uma curva, sempre lembrando da seta, e cheguei a parte do zig-zag nos cones. São cinco ao total e é super divertido de fazer. Andei mais um pouco com o carro, fiz outra curva e o circuito chegou ao fim. APROVADA!

Carteira
Você pode retirar a carteira de habilitação no mesmo dia, logo depois da prova prática. É só ir na mesma sucursal que você iniciou o processo.

Valores:
O curso prático (15 aulas de 30 min) + curso teórico + carro para a prova + pagamento de documentos = custou uma média de 600 reais. 2080 Pesos.
A metade do que eu paguei na auto escola do Rio de Janeiro. A diferença assusta, sem falar da praticidade dos argentinos. Tem quem te ensine? Tudo certo, pra que vai pagar auto escola? Só no Brasil mesmo..


Validade no Brasil
Eu posso dirigir com a carteira de turista por 90 dias, depois desse período tenho que fazer um requerimento para conseguir a habilitação brasileira. A diferença é que não vou precisar repetir as aulas teóricas, nem o exame prático. Só o psicotécnico e o de visão. YES!

Escrevi bastante, mas juro que é mais simples que no Brasil. Quem tiver alguma dúvida é só comentar.
Beijos, Gabriela Alegre

16 Comments

  1. Gabriela, parabéns pelo seu testemunho… minha namorada está querendo tirar a carteira mas agora inventaram mais uma… o tal do simulador, que deve na melhor das hipóteses deve ser um jogo de ps2 adaptado. Mais uma vez quem se prejudica é o mais pobre que será obrigado a seguir o sistema brasileiro.

  2. precisa ter 18 anos pra começar a auto escola aqui na Argentina?????????

  3. Oi, muito bom o post, estou com uma dúvida: eu também não consegui ainda tirar carteira no Brasil, pensei em ir para países vizinhos como a Argentina fazer o processo que parece simples e barato, mas li na internet que a carteira só vale em território argentino pelo seu tempo de permanência no país, ou seja, se eu for para Buenos Aires apenas para fazer a carteira ela terá validade no Brasil?? ou ela vem impressa uma data de validade pelo meu tempo de permanência no país???? Valeu, abraços

  4. Oi,tenho perguntas técnicas!!hahahaha,ja tenho carteira do Brasil mas ja faz muito mais de 3 anos que nao renovo pois vivia no exterior,agora vivo em Baires e em 4 dias vou fazer o exame pratico.Minha pergunta é,quando vamos dar a volta em marcha-re temos que ligar a seta ou o pisca-alerta?Pra fazer a baliza e também andar em marcha-re,podemos olhar pra tras como fazemos normalmente?ou temos que ficar olhando no retrovisor mesmo?Obrigado pela atençao!bjs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *