Férias – Viagem para maceió

viagem maceio 5

Como a sagitariana com lua em escorpião que sou, me mostro de um jeito preservado. Falo, falo, falo, tiro fotos, apareço o dia inteiro na internet, mas a intimidade mesmo eu guardo para os mais próximos. Nessa nova fase do It’s Gaby isso está mudando. Depois de tantas indas e vindas, o blog está começando a ter a cara que eu queria desde o início.

No post de hoje vou contar sobre como foi minha viagem a Maceió, minha terra natal.
Estou um pouco – muito – atrasada, já que a viagem foi em Dezembro, mas vamos lá. Para quem não sabe, nasci em Maceió mas me mudei para SC com apenas dois anos de idade. Desde 1996, não havia voltado pra lá, então, só conhecia minha cidade por fotos.

Consegui um tempinho de férias e junto com meu namorado, Felipe, passei 4 dias na cidade nordestina. Maceió foi uma grande surpresa. A água cristalina é real. Uma cidade com pessoas super abertas, que falam alto e de um jeito divertido. A orla parece de filme, nunca vi tão bonita. Eu que nem sou tão chegada em praia, fiquei vermelha por não querer sair de lá.

Tive a sorte de ficar na casa da minha amiga, também Gabriela, na Ponta Verde, uma localização ótima (brigada, Gabi!!). Ela nos levou para as principais praias: Francês e Gunga. E como eu coloquei na cabeça que queria ir até Marechal Deodoro, fomos. Resultado: Uma cidadezinha com um centro minúsculo, onde nos fomos a atração, de tão parado que o lugar é, hahah. No Gunga andamos de banana boat, socorroo, que negócio rápido, quase perdi a vida e o biquíni andando naquilo!
No dia seguinte, com o Felipe, peguei uma jangada que nos levou até as piscinas naturais de Pajuçara, aonde mergulhamos com peixinhos – afffff, sonho realizado total!
Fomos aos points da cidade, o bar Maikai e o quiosque de praia Kanoa. Também conheci um bar de rock – que agora não vou lembrar o nome, onde tive uma noite de muitas risadas e margaritas (ops!). Fui bem atendida em todos os lugares. Muqueca, camarão, caldinho de feijão e macaxeira ficaram entre os pratos mais pedidos. A comida tem um toque caseiro, sempre, independente do nível do restaurante. Não posso esquecer do Sanduba do Careca, um dos melhores sanduíches que já comi. Peguem o molho da casa e a opção com bacon, a gordice vale a pena.

Me senti um tanto segura caminhando por lá a noite, lá pelas 21 horas. Ah, fiquei impressionada com a fachada das lojas, todas caprichosas e muitas vezes temáticas. Os artesãos são muito educados e expõe trabalhos incríveis na orla. Que cidade mais fofa!

Eu tenho algo com fotos de viagens. Quando estou no lugar, não largo a camera de jeito nenhum. Gosto de fotografar cada detalhe da cidade, desde as varandas (tenho um amor louco por varandas), comidinhas gostosas, passeios inusitados à pessoas nativas do local. Mas guardo elas pra mim. Acabo esquecendo de postá-las na internet e o tempo vai passando, passando tanto que depois – na minha opinião – fica tarde. Seguem algumas fotinhas da viagem:
viagem maceio 10
viagem maceio
viagem maceio 9
Continue Reading