Expo Obsessão Infinita – Yayoi Kusama

IMG_137193

Faz umas semanas fui ver o que tanto se comentava pelas ruas: a expo “Obsesión Infinita”. Chegando lá me deparei com um mundo de bolinhas. Nas árvores, ponto de ônibus, lixeira, vidros, tudo estava a cara da artista Yayoi Kusama. Agora a expo da Kusama já está no Rio, mas foi inaugurada aqui em Buenos Aires, no museu MALBA. <3

Esperei uma hora embaixo de chuva para entrar, o lugar estava meeesmo concorrido. Tudo bem que era o último dia da expo, e a culpa foi minha por não ter ido antes. Sorry, mom haha. 
Na entrada ganhei uma folha de adesivos coloridos em formato de bolinhas, voltei a ser criança. Todo que estava mundo ali, aliás. Colei na minha roupa, mas alguns ficavam colocando na testa, nariz e bochechas. O bom é que sempre vai ter alguém mais louco que você, rs.

Um pouco sobre a artista: Ela foi uma grande revolucionária da sua época. As obras que hoje parecem fáceis e comuns, naquela então faziam uma quebra ao já estabelecido como esteticamente apreciável.  Suas obras tem o ar contemporâneo, com um quê de surrealismo, modernismo e um padrão de repetição. Essa obsessão já lhe rendeu vários prêmios e exposições pelo mundo. 
Em 1957, Kusama se mudou para Nova York e lá ficou conhecida por suas performances, festivais de body painting, demonstrações anti-guerra e desfiles de moda, sempre marchando pelos direitos civis e das mulheres. Atualmente ela esta com 84 anos, e escolheu viver em uma clinica psiquiátrica em Tóquio, desde 1977. 
 “Minha arte é uma expressão da minha vida, sobretudo da minha doença mental, originário das alucinações que eu posso ver. Traduzo as alucinações e imagens obsessivas que me atormenta em esculturas e pinturas. Todos os meus trabalhos em pastel são os produtos da neurose obsessiva e, portanto, intrinsecamente ligado à minha doença. Eu crio peças, mesmo quando eu não vejo alucinações”

Além das pinturas, colagens e fotografias da artista, a expo conta com instalações incríveis! O que eu mais gostei foi o que tinha luzes penduradas que ficam mudando de cor. Quero isso já no meu quarto!
Depois estavam os quartos com os adesivos de bolinha, um com luz negra e outro super colorido, o divertido era que o pessoal podia acrescentar mais adesivos, colaborando com a obra o/

Datas  no Brasil:

12.10.2013 a 26.01.2014: Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro
17.02.2014 a 27.04.2014: Centro Cultutal Banco do Brasil, Brasília
21.05.2014 a 27.07.2014: Instituto Tomie Ohtake, São Paulo


Já que estava no MALBA, aproveitei para ver a exposição fixa do museu. Arte latino americana do séc XX. 
Vi obras muito conhecidas, como da Tarsila do Amaral, Botero, o auto-retrato da Frida Kahlo.. mas a artista que me chamou a atenção foi a que descreve ações humanas através de bonequinhos em miniatura  e outros objetos. Parece bobo, você fica se perguntando como não pensou nisso antes, mas é sempre assim, por mais simples que pareça, o primeiro que criar, vence. rs



  

Essa é de um brasileiro!


 Museu MALBA, $40, mais uma dica para o city tour em Buenos Aires. Vale a pena ir 🙂

Beijos, Gabriela Alegre

Diário de intercâmbio: El Caminito – City tour

Oi, gente! Essa mudança repentina de clima em Buenos Aires é mesmo traíra. A Primavera já chegou, mas mesmo com raios de sol, o vento frio ainda é muito forte. Saí tanto por aí que acabei resfriada, argh. To faz quatro dias de cama e só hoje comecei a melhorar. Maior bad. Ficava pensando no blog desatualizado todos os dias. Nesses últimos dias entrei na internet só pelo meu iPod. Agora da pra entender o sumiço do blog, né?

Deixando os dias ruins de intercâmbio pra lá.. Um dos passeios que fiz na semana passada, foi visitar o bairro “La Boca”. Na região, que antes era a casa de muitos imigrantes, esta o famoso ponto turístico “El Caminito”. Nas ruas principais, as casinhas são feitas de madeira e todas coloridas. Um amor. Isso porque antes do bairro ser adaptado para os turistas, as casas eram pintadas com os restos de tinta dos barcos. 
O lugar que antes abrigava cortiços e grandes famílias, agora é conhecido como um grande museu ao ar livre. Com restaurantes que oferecem shows de tango, artistas plásticos na rua, dançarinos de tango e lojinhas de souvenir.

“O que o Picasso não pintou, esta aqui” 

Wow. Quanta loja de souvenir! Vi muitas coisas bonitinhas e com bom preço. Chaveiros, xícaras, imãs, camisetas de futebol, tudo que você imaginar em couro (inclusive a réplica da jaqueta do Wolverine)… A personagem argentina “Mafalda”, “Maradona” e “Messi” estavam em praticamente todas as lojas. É o patriotismo argentino estampado nas prateleiras.

 amei!

 Grande Maradona, em todos os cantos de Buenos Aires..

Na rua o assédio ao turista é grande. Isso me incomodou bastante. Principalmente os moços de restaurante que tentam te convencer a ver o menu deles, quando você diz mil vezes que não! Ele ficou no seguindo e repetindo tudo que eles tinham para oferecer. Mal ele saiu, chegou outro. Invasivo demais.
Outro absurdo do bairro são os casais de tango que posam para fotos. Perai, já vou explicar o absurdo, haha. Eles primeiro te chama pra foto, você vai todo ingênuo, depois a mulher vai e te diz: 50 dólares. Simples assim. E se você se negar eles brigam com você e te dão mil motivos pra pagar. Obviamente a maioria paga. Eu mesma já paguei uma vez, mas se me perguntar: “a foto valeu a pena o dinheiro?” Não!

 Estátuas e obras de artes estão espalhadas pelo caminho. Me diverti horrores tirando fotos. Obviamente tem uma do Maradona:

É tudo muito colorido e bonito, mas só ali perto do Caminito. Todos indicam a não ir para as outras ruas do bairro, já que são conhecidas por assaltos e furtos aos turistas. Em outro ano, quando eu já estava no ônibus, vi um menino pegando a câmera de um turista, a luz do dia, na caruda.

Então a dica para esse City tour é: Fato que ‘El caminito’ tem que estar na sua lista de pontos turísticos para visitar, mas toma cuidado pra não sair da parte turística.

É bom estar de volta <3

Beijos, Gabriela Alegre

Diário de intercâmbio: El Caminito – City tour

Oi, gente! Essa mudança repentina de clima em Buenos Aires é mesmo traíra. A Primavera já chegou, mas mesmo com raios de sol, o vento frio ainda é muito forte. Saí tanto por aí que acabei resfriada, argh. To faz quatro dias de cama e só hoje comecei a melhorar. Maior bad. Ficava pensando no blog desatualizado todos os dias. Nesses últimos dias entrei na internet só pelo meu iPod. Agora da pra entender o sumiço do blog, né?

Deixando os dias ruins de intercâmbio pra lá.. Um dos passeios que fiz na semana passada, foi visitar o bairro “La Boca”. Na região, que antes era a casa de muitos imigrantes, esta o famoso ponto turístico “El Caminito”. Nas ruas principais, as casinhas são feitas de madeira e todas coloridas. Um amor. Isso porque antes do bairro ser adaptado para os turistas, as casas eram pintadas com os restos de tinta dos barcos. 
O lugar que antes abrigava cortiços e grandes famílias, agora é conhecido como um grande museu ao ar livre. Com restaurantes que oferecem shows de tango, artistas plásticos na rua, dançarinos de tango e lojinhas de souvenir.

“O que o Picasso não pintou, esta aqui” 

Wow. Quanta loja de souvenir! Vi muitas coisas bonitinhas e com bom preço. Chaveiros, xícaras, imãs, camisetas de futebol, tudo que você imaginar em couro (inclusive a réplica da jaqueta do Wolverine)… A personagem argentina “Mafalda”, “Maradona” e “Messi” estavam em praticamente todas as lojas. É o patriotismo argentino estampado nas prateleiras.

 amei!

 Grande Maradona, em todos os cantos de Buenos Aires..

Na rua o assédio ao turista é grande. Isso me incomodou bastante. Principalmente os moços de restaurante que tentam te convencer a ver o menu deles, quando você diz mil vezes que não! Ele ficou no seguindo e repetindo tudo que eles tinham para oferecer. Mal ele saiu, chegou outro. Invasivo demais.
Outro absurdo do bairro são os casais de tango que posam para fotos. Perai, já vou explicar o absurdo, haha. Eles primeiro te chama pra foto, você vai todo ingênuo, depois a mulher vai e te diz: 50 dólares. Simples assim. E se você se negar eles brigam com você e te dão mil motivos pra pagar. Obviamente a maioria paga. Eu mesma já paguei uma vez, mas se me perguntar: “a foto valeu a pena o dinheiro?” Não!

 Estátuas e obras de artes estão espalhadas pelo caminho. Me diverti horrores tirando fotos. Obviamente tem uma do Maradona:

É tudo muito colorido e bonito, mas só ali perto do Caminito. Todos indicam a não ir para as outras ruas do bairro, já que são conhecidas por assaltos e furtos aos turistas. Em outro ano, quando eu já estava no ônibus, vi um menino pegando a câmera de um turista, a luz do dia, na caruda.

Então a dica para esse City tour é: Fato que ‘El caminito’ tem que estar na sua lista de pontos turísticos para visitar, mas toma cuidado pra não sair da parte turística.

É bom estar de volta <3

Beijos, Gabriela Alegre

Look – Little Decoy

Usei esse look para ir ao Zoo de Buenos Aires! Como tava ficando tudo muito preto, coloquei a camisa xadrez em tons de azul e aproveitei para estrear um colar que eu comprei online (não me pergunte aonde, que não lembro, rs).
 Eu tenho visto muitas meninas usando a camisa amarrada na cintura, tentei, mas com esse look não me convenceu muito. Ainda assim, o que eu mais gostei da combinação foi o contraste de cores. E vocês, o que acharam?

Beijos, Gabriela Alegre
www.facebook.com/blogitsgaby

Super slim price flash sale!  Only 48 hours!
Fashionable best sellers!  $14.99 up!
Don’t miss, girls!

Diário de intercâmbio: Choque Cultural. Argentina vs Brasil

No meu primeiro blog sobre intercâmbio, o que eu fui morar em Wisconsin – Estados Unidos, eu também escrevi sobre o choque cultural. Como as pessoas de culturas diferentes pensam e vivem.
Já que a Argentina fica pertinho do Brasil, eu achei que a diferença não ia ser tão grande. Parece que eu errei. Olha só:

Buenos Dias: Nos ônibus, cafés e faculdade, as pessoas que não te conhecem, te tratam com muita educação. Sempre cumprimentam (com um beijo), falam por favor e agradecem. Parece super comum, mas tem países que as pessoas são realmente mal educadas.

Boludo: Como o povo xinga e usa gírias. Boludo é como se fosse “babaca” em português, e é usado como uma vírgula para os argentinos quando estão entre amigos. Até eu já comecei a usar. Outros xingamentos mais pesados também são usados no dia-a-dia, a qualquer momento, chega a ser grosseiro e feio.
As gírias que eu mais tenho escutado são: No pasa nada > tá tranquilo, Bueno, dale, listo > ok, Pive, chabon y flaco> homem. Entre mil outras haha
Achei esse video que fala as gírias dos porteños. Morri de rir: http://www.youtube.com/watch?v=8IpOfFlX8gc

Fiu-Fiu: Os homens aqui são mais tarados que no Brasil, por incrível que pareça. Olham descaradamente. Nem andando do lado do meu namorado eles param. Fazem comentários, elogiam e gracinhas, independente da roupa que você esta usando. Eu fico com muuuita raiva. É uma falta de respeito que não vem só dos argentinos, mas também dos estrangeiros que moram aqui, como os bolivianos.

No pasa naaaada, ya fue: Os argentinos tem essa vibe de ta tudo tranquilo, vamos deixar pra lá, como em algumas regiões do Brasil. Ta pegando fogo no lugar e eles falam: no pasa naaaaada.
Serve para todas as ocasiões. É como um: relaaaaxa.

Maradona es mejor: Apesar da economia quebrada, um governo que não agrada e diversos problemas no país. A pátria continua sendo amada e de verdade (não só no hino, rs). Os argentinos são extremamente patriotas, amam o país em que vivem e eu acho isso muito foda.

Diferente, né? Depois conto mais!

Beijos, Gabriela Alegre

Diário de Intercâmbio: El Cuartito – City Tour

Criei uma nova tag para o blog, o city tour! Fiz uma lista (que está no lado direito do blog >>) com todos os pontos turístico que vou visitar e mostrar pra vocês por aqui. Também para que consigam usar como guia, caso viagem para Buenos Aires. Para escolher os lugares entrei em vários sites de turismo e inclusive copiei o percurso do ónibus que leva os turistas para percorrer a cidade. hahah. Então podem confiar!

El Cuartito é um dos lugares mais tradicionais de Buenos Aires quando se fala em comer pizza ou empanadas. Esta faz 79 anos no mercado e fica na Rua Talcahuano, Recoleta.

Depois de passar o dia em Puerto Madero, fui jantar lá com a minha vó.
Não só pela ótima pizza, mas também pelo ambiente.  O lugar é todo decorado com posters de futebol, celebridades e boxe. O idolo dos Argentinos, Maradona obviamente esta pelas paredes. Em quadros, camisa pendurada, posters, papéis autografados. Ainda não caiu a ficha dos Argentinos que o Pelé é melhor, mas ok, perdoamos.
O atendimento é bom, nada muito surpreendente. Só tem que ficar de olho com as gracinhas dos garçons, rs.
Os preços estão bons para a qualidade da comida. Cada fatia custa em média 15 pesos e uma pizza grande está 90. O bom é que se você está apressado, ou sozinho, tem um balcãozinho para comer em pé.

 Quero crescer e ficar que nem ela, beijos.

 Minhas escolhas: Fugazzeta e Napolitana <3

El Cuartito esta sempre lotado, com isso torna-se barulhento. Mas é um lugar para se ter anotado na hora de visitar Buenos Aires.