Diário de Intercâmbio: Primeiras impressões de um intercâmbio

exchnge22
 Diário de intercâmbio: Mudar de repente para viver em outra cultura pode ser complicado. No início podem aparecer inseguranças e logo o pensamento de desistir. Com o tempo você consegue enxergar como ‘sair do seu mundinho’ te faz crescer, aprender milhões de coisas e conviver melhor com as pessoas. Bingo! Viajar pode ser uma das melhores escolhas da sua vida. Estou no meu segundo intercâmbio, e as impressões que eu tive nas primeiras semanas foram praticamente as mesma de quando eu morei nos Estados Unidos. Fiz uma lista com as principais coisas que um intercambista ‘sofre’ nas primeiras semanas:
Amigos estrangeiros
Seus primeiros amigos vão ser estrangeiros, isso é fato. Quando você esta de intercâmbio, no início você sofre com a distância, saudade, falta de amigos verdadeiros, alimentação diferente e problemas com a língua. Nada melhor do que encontrar alguém que esta sentindo o mesmo que você. É como conhecer sua alma gêmea, você fica encantado e ainda aproveita pra aprender palavras em outra língua, haha. Essa identificação acontece logo no início, mas nem sempre dura até o final da viagem. Até porque depois que essa fase de “adaptação” passa, e o assunto deixa de ser sobre a viagem, muitas vezes percebemos que não tínhamos nada mais em comum do que isso, rs.

Rostos conhecidos
No meu primeiro intercâmbio, eu andava pela rua e via rostos conhecidos. Em um momento quase parei uma pessoa pra ver se era quem eu pensava, até que raciocinei “ele não pode estar nos Estados Unidos”. E não estava! Parece loucura, mas acho que é só saudade do país de origem nas primeiras semanas. Imagino que para me sentir “em casa” tento associar e identificar pessoas nas ruas. Aconteceu aqui em Buenos Aires também, mas agora já passei dessa fase, ufa!

Tudo engorda!
Não adianta, quando chegamos em um país desconhecido engordamos. As comidas são mais calóricas, ou tem ingredientes diferentes. O prato típico não é o que estamos acostumados, por isso acabamos ganhando alguns quilinhos, até o nosso organismo se adaptar. As vezes também acontece da pessoa rejeitar tudo que é novo, odiar a comida o país, e consequentemente emagrecer, rs.

Inventamos patriotismo

Quando saímos do país, principalmente na primeira vez, começamos a sentir falta de coisas que nunca valorizamos no Brasil.
Lembro que quando fui aos Estados Unidos tudo que eu queria era o abraço de um brasileiro hahah ou o querido arroz e feijão. Passamos a adorar nossa pátria e vemos até qualidades no nosso estilo de vida. Não queremos ser o país só do futebol, sexo e cerveja. Deixa alguém falar mal do Brasil perto de mim. Defendo até a morte, rs.
Até que os meses vão passando e o patriotismo vai diminuindo, novamente…

A internet é a sua melhor amiga
Como não conhecemos muitas pessoas na cidade, a língua local ainda não é nosso melhor atributo e sentimos muita falta de casa, passamos horas conectados a internet. Usar o Skype para falar com a família e outras redes sociais para ver como tudo esta indo no seu país, é normal. Só temos que tomar cuidado para não ficar muitas horas no mundo virtual e acabar perdendo a diversão que é estar morando em outro país.

Você já foi intercambista e percebeu algo diferente? Conta pra mim!

Beijos, Gabriela Alegre

Sobre amores de transporte público, o hobbie dos porteños.

large24

Esses dias li no blog “Buenos Aires para chicas” sobre como os hermanos paqueram no ônibus. Achei engraçado, então comecei a observar mais o comportamento das pessoas que pegam transporte público por aqui e confirmei, os argentinos adoram mesmo um amor impossível! Se for daqueles rápidos, cheios de drama, com olhares penetrantes e que duram só até a próxima parada, melhor ainda.

Ontem, quando voltava pra casa, tive o azar de pegar um ônibus mega lotado. Me virei e sentei em um cantinho que sobrava ao lado de um banco. Do lado de um cara que, curiosamente, parecia o Russell Brand. Até ai tudo certo. Coloquei meu fone e fiquei ouvindo Mumford & Sons na minha. Enquanto o ônibus atravessava  a longa Av. Corrientes, o “Russell” decidiu descer. Passou por mim sem nem pedir licença (estranhei, já que o povo daqui é bem educado), quando chegou na porta começou a me encarar. Eu queria rir. Ele não falou comigo a viagem inteira e quando vai descer decide começar o flerte? hahaha. Sem reclamações, afinal ele não seria correspondido, rs. Mas achei uma situação inusitada. Ele ficou olhando até descer. Eu não o encarei de volta. Mas admito que as vezes conferia se ele tava olhando, por curiosidade e pra ver se a teoria dos “hermanos paqueradores” era verdade. Resultado: Sim!
Não foi como aqueles casos de “amores de metrô” que o olhar diz tudo, mas o vagão lotado ou a parada chegando, os afastam do ‘felizes para sempre’. Não, nada de romantismo. Ele tava sentado do meu lado. DO MEU LADO. E ainda assim esperou o ponto final para iniciar o flerte. Esse mistério do homem porteño. Acho que é algo que nunca vou compreender.
Beijos, Gabriela Alegre

Diário de Intercâmbio – Choque Cultural: Argentina vs. Brasil 2

IMG_161313

Hola, chicos! Cada dia to reparando em mais diferenças entre os brasileiros e os argentinos. Fiz outra listinha com 5 coisas que até agora estou tentando me acostumar:



Floricultura 24hrs – Quer algo mais amor do que isso? Eu vejo dois pontos positivos em ter algumas floriculturas abertas 24 horas aqui em Buenos Aires. Um: Se você esqueceu de comprar o presente, sempre da tempo de comprar flores. Dois: Quando eu volto tarde de festas, sei que não sou a única na rua e talvez alguém que trabalhe ali possa me socorrer (ou não).

Fuma, fuma, fuma, folha de.. – Os argentinos fumam muuuito tabaco. Nas ruas, bares, faculdade e festas, sempre tem uma boa quantidade de gente com cigarro na mão. Argh.

Carros antigos – Nunca vi tanto carro antigo e abandonado na rua. Uma argentina me explicou que aqui ninguém da muita importância pro carro, tirando aqueles que tem muito dinheiro. É comum ver advogados usando o transporte público, por exemplo. E muitos dos que tem carro, andam com ele batido, rs.

Es temprano- Nenhuma boate abre antes da uma da manhã e se você chegar lá a essa hora, pode ter certeza que vai estar vazia. Os argentinos tem essa mania de começar a noite lá pelas 2/3 da manhã. Até não ir para os “boliches” ficam nas famosas “prévias”(as prés/sociais). Bem tarde pros brasileiros, que começam a curtir meia noite no máximo.

Chamuyero- Uma coisa que os argentinos adoram é o flerte, mas na hora do “vamos lá” são uns lentos! Já que eu to namorando, isso não me afeta, hahah, mas me contaram que eles falam demais, dão em cima com frases prontas e ficam de blablabla até chegar mesmo em você. Eita passividade!

Perdeu o primeiro post sobre o “choque cultural”? Ta aqui!

O que acharam? Muito diferente ou da pra conviver? haha

Beijos, Gabriela Alegre

Diário de Intercâmbio – Dia em Puerto Madero

IMG_1737-cópia11
 Esse post é sobre o passeio que eu fiz algumas semanas atrás. 

Como uma boa guia de turismo, levei meu namorado para conhecer Puerto Madero. O bairro mais caro e elegante de Buenos Aires (como eu já disse nesse post aqui).
O bairro é conhecido pelos cafés e restaurantes charmosos e de boa qualidade. Sem falar da vista linda para o Rio de la Plata e a reserva ecológica que tem por ali.

Almoçamos (as 16hrs, por isso as fotos estão escuras, rs) em um lugar chamado “Brasas Argentinas”, super indico, comida e atendimento impecável. Aproveitamos para comer muuuito assado, comida típica da Argentina.
Vimos a famosa “ponte da mulher” e visitamos a fragata “Sarmiento”, que foi declarada Monumento Histórico Nacional e hoje em dia é um museu. A visita custa dois pesos e recorrendo o barco, podemos ver como era a vida dos tripulantes, inclusive a sala de máquinas e quartos. Estão expostas algumas recordações, armas e trajes. É bem interessante! O único que eu não curti foi ver o cachorro embalsamado que viajou com a fragata, partiu meu coração 🙁

Rose and Jack. Classy!

Ainda compro um apartamento ali. hahah. Sonhar não custa nada, né?!
Me disseram que tem um restaurante mexicano ali que é maravilhoso! Fica anotado pra próxima.
Beijos, Gabriela Alegre

Diário de intercâmbio – Provas na faculdade

large117

Oi, gente!
A faculdade tá ocupando muito do meu tempo. arghhhh, são muitos projetos, sem falar da semana de provas, enlouqueci.
Antes do tal “parcial” que é o nome que se da a primeira prova da matéria, todo mundo me colocou medo. Falaram que era mega difícil, que mesmo com a média 4 nem todos passavam. Assim como o resto do mundo, gosto de tirar notas boas, rs, mas como não sou nerd, nem tenho hábito de estudar com freqüência, fiquei nervosa com os comentários. Até que descobri que nem é tão complicado assim!

 Freud, Winnicott, Walter, Peter Gray, seus lindos, como é difícil memorizar as teorias de vocês. A prova de psicologia foi a que me deixou mais nervosa. Perguntas muito especificas, eu não lembrava todos os conceitos e nem tinha como inventar ou dar uma enrolada marota de brasileira. Durante a prova, fiquei olhando pra janela que tem vista pra Av. 9 de Julho, lá tem um outdoor com a foto da Isis Valverde. Pedia uma luz pra alguem brasileiro, vai que.. hahah. NADA.
Saí da sala achando que eu não tinha ido bem o suficiente 🙁 Só recebi a nota essa semana e tcharannnnn, fui bem sim!

Qual é a função de um roteirista? Identifique o climax do curta tal, blablabla. Quais são os tipos de conflitos que um personagem pode ter?
Perguntas desse tipo caíram na minha prova de Produção de televisão e cinema. Parace super fácil, né? Também achei!! Respondi super rápido e saí da sala feliz da vida. Apesar de toda Quinta chegar tarde, eu amo o conteúdo dessa aula. Filmagem, iluminação, fotografia, pré e pós produção, aff <3
Hoje recebi a nota… todo mundo decepcionado. A prova que parecia super fácil foi corrigida de maneira cruel (olha o drama) pelos professores. Geez. Não deixaram passar uma. A nota foi boa, mas queria maissss.

Agora é esperar a prova de Marketing, que a média é 6 e diferente de todas as outras matérias, a prova tem 40 questões e não só 10. WHAT WHAT WHAT
Comecei a estudar esses dias, já li mais de 150 páginas, vida cruel. Nunca imaginei que Marketing fosse tão difícil. Palmas pra quem cursa essa carreira. Coragi <3

Os projetos são tensos! Depois conto cada um deles..

Beijos, Gabriela Alegre

Diário de Intercâmbio: UADE – Tour pela minha facul

Tirei uma tarde para fotografar a UADE, já ta mais do que na hora de eu mostrar minha faculdade pra vocês! hahah.
A nivel de estrutura e ensino, a minha universidade é parecida com a PUC do Rio de Janeiro, só que com um valor mais acessível, pelo menos para os brasileiros, rs. Em relação as outras instituições de Buenos Aires é uma das maiores, mais modernas e caras. Perdendo pra PUC de Buenos Aires que é absurdamente enorme.

Prontos para o tour? haha
São quatro prédios com oito andares. No prédio de artes, além das salas de aula, tem um estúdio de fotografia, uma sala Gessel e a sala dos macs que fica disponível para os alunos quando não tem aula. Também tem uma parte de exposições, com obras feitas pelos alunos daqui. Adorei a idéia de dar essa oportunidade aos criativos, rs.

Assim como nas universidades dos Estados Unidos, aqui também tem residência na facul. Eu pesquisei o preço e vi que os quartos estão caros em relação aos apartamentos da cidade, mas imagino que deve ser muito bom morar ali. Eu acordaria as 7:30 pra chegar as 8:00 tranquilamente!

Gordinha do jeito que sou, esse é um dos meus lugares favoritos da facul. heheheh. O pátio de alimentação tem um Subway e um mini restaurante. Os valores são bem mais em conta do que nos restaurantes de fora e a comida é boa. Todo dia tem um menu diferente e tal.

O O que é uma faculdade sem alunos? hein? hein? Esse é o Gilmar, intercambista brasileiro e aluno super aplicado. hahah.
Eu amo essas placas. Não me pergunte porque 🙂

Saindo dos prédios tem um pátio bem grandinho, com muitos lugares pra dormir ficar conversando,  um Starbucks (que esta sempre lotado), e um quiosque (que vende todos os doces que você não deveria comer). 


No prédio administrativo, além das oficinas, tem quatro andares de biblioteca. Um deles é a parte de estudo, outra com computadores e os outros dois com livros. É uma boa pra passar o tempo 🙂

Em outro prédio tem os ginásios, sala de ginástica e academia. Todos os alunos tem a opção de pagar pra malhar ou praticar esportes ali, os pacotes tem o mesmo preço que as academias de fora. Então é tranqs. Eu passo longe dali, hahah. Esportes não são pra mim 🙁
O quarto prédio é aonde eu passo minhas manhãs, yaaay. Todas as minhas aulas são ali. É o mais completo de todos e também tem um milhão de salas. No oitavo andar tem outro Starbucks e um terraço incrível com vista pra Av. 9 de Julho. <3


No quarto andar tem mais uma lanchonete. Geez, querem nos engordar.

Cartazes como esses estão espalhados por toda a faculdade. Orgulho UADE. Ex alunos que agora estão com empregos incríveis, como esse tal Lino que é top no Google Argentina. wow. Também queeeero ser “orgulho uade” hahah. Em breve (espero)!

As salas de aula são engraçadinhas. A primeira vez eu estranhei como todo mundo senta junto. Fica um colado no outro, tipo ??? mas agora já me acostumei! Em dia de prova, obviamente, sentamos separados.

As salas das turmas de design são as mais divertidas. Sempre!

A área de audiovisual da facul me impressionou. Eles tem um estúdio de gravação super completo. Até deixei apra outro post, de tão encantada que fiquei. Sou muito boba. hihihi.

É isso, agora vocês já sabem aonde passo três dias da minha semana: Universidad Argentina de la Empresa. Vou preparar um post contando a rotina das aulas e como o ensino argentino ta me tratando, haha. 

Minha aula de Marketing vai começar agora, ahhh. Tenho que correr lá. 
Beijos, Gabriela Alegre