Truques para cuidar do seu JEANS <3

large
Jeans! Tem tecido mais amor? A peça curinga do guarda roupa feminino e masculino que salva muitos naqueles dias de “eu não tenho o que vestir, socorro mundo”, merece atenção especial para manter a sua cor e durar um bom tempo. Separei alguns tópicos que vão ajudar a manter seu jeans em dia, olha só:

A frequência de lavagem da calça jeans

Você não pode tratar o jeans como as outras roupas do seu guarda roupa! Usou, lavou não funciona com essa peça. Não to falando pra você sair com ele sujo por aí não, mas o próprio CEO da Levi’s disse que tenta evitar lavar seus jeans sempre. Quando ver alguma mancha, lave no local e depois de algumas vezes de uso (vai de cada um!) lave ele por completo.

Evite o desbotamento

A calça desbotada só é bonita quando tem como objetivo essa aparência. Lavas roupas a mão pode ser absurdamente chato, maaaas se você quer evitar o desbotamento á toa do seu jeans, lave ele a mão, de dentro para fora com água fria.
Não é tão difícil, vai: Coloque ele em um tanque/balde cheio de água com uma colher de sabão líquido e deixe ele de molho por uma horinha. Enxague e voilà!

large (2)

Secando na máquina – cuidado!

Secando o jeans na máquina você aumenta os pontos de tensão e corre o risco de encolher a peça! Além disso, quanto menor calor o tecido receber, mais duradoura será sua cor.  O ideal é retirar ele antes que esteja completamente seco ou deixar secar pendurado de cabeça pra baixo.

Mantenha a cor do seu jeans <3

Após deixar ele de molho, ou durante o ciclo final da máquina, adicione meia xícara de vinagre branco. O ingrediente vai ajudar a manter a cor do seu par favorito de jeans!

large (1)
Varie o jeans

Isso parece óbvio! Mas muitas vezes por gostarmos muito do caimento da peça acabamos repetindo ela durante a semana. O ideal é ter alguns pares disponíveis para ir revezando 🙂

E tudo isso vale também para jaquetas e macaquinhos. Vamos cuidar bem do nosso queridinho e continuar arrasando no denim!

Beijos,
Gabriela Alegre

Guia de maquiagem: Onde comprar delineador online

comprar maquiagem online - itsgaby

Eu diria que não existe make perfeita sem delineador. Seja no traçado gatinho, pin up ou retrô, o delineado no olho faz toda a diferença. Muitas meninas tem dificuldade pra passar sem se borrar, normal, já sofri muito com isso! Pra nossa felicidade, hoje existem vários tipos: líquido, de caneta, em gel e lápis. Eba! Assim fica mais fácil encontrar um que você se adapte melhor na hora de usar.
Para facilitar a vida de vocês (sou fofa, vai!) fiz uma listinha de lugares seguros para comprar delineadores online:

 comprar delineador online - maquiagem - sephora - mac - itsgaby

1 – Delineador líquido Max Love – NetFarma  – R$11,69
2 – Delineador líquido Natura Faces – Natura – R$26,70
3 – Em gel Fluidline – Mac  – R$66
4 – Delineador líquido Intense – O Boticário – R$23,99
5-  Em caneta Una – Natura – R$45,80
6- Em gel NARS – Sephora – R$119
7 – Em gel Vult – The Beauty Box -R$27,90
8 – Delineador líquido Sephora Smart liner – Sephora -R$69,00
9- Delineador líquido colorido – Mary Kay – R$24,00
10- Delineador líquido Quem disse Berenice – QDB – R$27,90

Tem de todos os tipos e preços! Alguns sites até oferecem frete grátis 🙂
Boas compras!

Beijos,
Gabriela Alegre

Clean Face – beauty das passarelas de moda

clean

Cara quase lavada e com vibe de praia. Look a cara do verão! Diferente das outras tendências, a pele dessa make é básica. É a união de um BB cream leve, bronzer e máscara para os cílios. Separei alguns looks da semana de moda de Paris e Nova York que usaram essa tendência.

Com um retoque nas sobrancelhas e gloss, a Balmain conseguiu passar a impressão de cara lavada durante o desfile da Paris Fashion Week.

balmain

Lápis para sobrancelha –  Quem disse Berenice – R$ 25,90  

BB Cream – Loreal –  R$33,90

Brilho labial – Eudora – R$30,99

Já no desfile do Emanuel Ungaro, a aplicação de bronzer ressaltou as pintinhas da modelo. Um look ótimo pras ruivas.

emilio

BB Cream – Mac – R$139,00

Bronzer – Maybelline – R$19

Iluminando áreas estratégicas do rosto, gloss nos lábios e sobrancelha ao natural, Isabel Marant mostrou a beleza natural também em modelos negras.

isabel marant

BB Cream tom escuro– Maybelline – R$30,90

Iluminador – O Boticário – R$43,19

No desfile da Chloé, a marca apostou no batom nude e os olhos levemente marcados com lápis preto.

chloe

Lápis preto – Dailus – R$10,50

Batom Cor nude – Dailus – R$22,78

BB cream – Vult – R$32,90

Nos dias mais quentes, ou até mesmo pra ir pra praia, uma opção é procurar um protetor solar com cor. Você vai conseguir o mesmo efeito que uma base mais leve.

Vamos sair todas com essa cara de acordei linda e tô (quase) sem make? hahha

Beijos,
Gabriela Alegre

Guia de compras online – Jaqueta Jeans

jaqueta jeans

Jaqueta jeans é a peça que você tem que ter no seu armário. Sabe por que? Nos momentos de desespero, quando você não sabe o que usar, ela vai estar lá, pronta para completar seu look com a versatilidade que só o jeans tem. Combina tanto com looks mais moderninhos quanto com looks para o dia a dia. Motivo extra: É uma peça atemporal, mas voltou a ser tendência agora com a novidade dos patches. Queremos!
Para facilitar – ou não – a vida, existem diveeersas opções de jaquetas: variedade de cores e lavagens, diferentes comprimentos de manga, styling com patches/tecido moletom e até modelo bomber!
Separei jaquetas de marcas e valores variados que vocês conseguem comprar online mesmo, assim, podem encontrar a que mais combina com vocês 😀
Onde comprar (1)
1 Colcci para Dafiti – R$234,90
2. John John para Farfetch – R$199,90
3. Le Lis Blanc para Farfetch – R$479,90
4. Mooncity para Dafiti – R$69,99
5. Quintess para Posthaus – R$159,99
6. Lov.it para Dafiti – R$239,90
7. Clock House para C&A – R$119,99
8. BlueSteel para Renner – R$168,00
9. Forum para Zattini – R$477,00

Dessa lista, as minhas favoritas são a da Lov.it – to louca nessa tendência de patches, a bomber da Renner, primeira vez que vejo um modelo bomber jeans e a da Fórum, básica com uma lavagem lindona.

Qual vocês mais gostaram? Me contem se comprarem alguma, hein.

Beijos,
Gabriela Alegre

Férias – Viagem para maceió

viagem maceio 5

Como a sagitariana com lua em escorpião que sou, me mostro de um jeito preservado. Falo, falo, falo, tiro fotos, apareço o dia inteiro na internet, mas a intimidade mesmo eu guardo para os mais próximos. Nessa nova fase do It’s Gaby isso está mudando. Depois de tantas indas e vindas, o blog está começando a ter a cara que eu queria desde o início.

No post de hoje vou contar sobre como foi minha viagem a Maceió, minha terra natal.
Estou um pouco – muito – atrasada, já que a viagem foi em Dezembro, mas vamos lá. Para quem não sabe, nasci em Maceió mas me mudei para SC com apenas dois anos de idade. Desde 1996, não havia voltado pra lá, então, só conhecia minha cidade por fotos.

Consegui um tempinho de férias e junto com meu namorado, Felipe, passei 4 dias na cidade nordestina. Maceió foi uma grande surpresa. A água cristalina é real. Uma cidade com pessoas super abertas, que falam alto e de um jeito divertido. A orla parece de filme, nunca vi tão bonita. Eu que nem sou tão chegada em praia, fiquei vermelha por não querer sair de lá.

Tive a sorte de ficar na casa da minha amiga, também Gabriela, na Ponta Verde, uma localização ótima (brigada, Gabi!!). Ela nos levou para as principais praias: Francês e Gunga. E como eu coloquei na cabeça que queria ir até Marechal Deodoro, fomos. Resultado: Uma cidadezinha com um centro minúsculo, onde nos fomos a atração, de tão parado que o lugar é, hahah. No Gunga andamos de banana boat, socorroo, que negócio rápido, quase perdi a vida e o biquíni andando naquilo!
No dia seguinte, com o Felipe, peguei uma jangada que nos levou até as piscinas naturais de Pajuçara, aonde mergulhamos com peixinhos – afffff, sonho realizado total!
Fomos aos points da cidade, o bar Maikai e o quiosque de praia Kanoa. Também conheci um bar de rock – que agora não vou lembrar o nome, onde tive uma noite de muitas risadas e margaritas (ops!). Fui bem atendida em todos os lugares. Muqueca, camarão, caldinho de feijão e macaxeira ficaram entre os pratos mais pedidos. A comida tem um toque caseiro, sempre, independente do nível do restaurante. Não posso esquecer do Sanduba do Careca, um dos melhores sanduíches que já comi. Peguem o molho da casa e a opção com bacon, a gordice vale a pena.

Me senti um tanto segura caminhando por lá a noite, lá pelas 21 horas. Ah, fiquei impressionada com a fachada das lojas, todas caprichosas e muitas vezes temáticas. Os artesãos são muito educados e expõe trabalhos incríveis na orla. Que cidade mais fofa!

Eu tenho algo com fotos de viagens. Quando estou no lugar, não largo a camera de jeito nenhum. Gosto de fotografar cada detalhe da cidade, desde as varandas (tenho um amor louco por varandas), comidinhas gostosas, passeios inusitados à pessoas nativas do local. Mas guardo elas pra mim. Acabo esquecendo de postá-las na internet e o tempo vai passando, passando tanto que depois – na minha opinião – fica tarde. Seguem algumas fotinhas da viagem:
viagem maceio 10
viagem maceio
viagem maceio 9
Continue Reading

Apropriação cultural nos desfiles de moda – É possível fazer diferente

valentino

As coleções de primavera/verão de diversos estilistas nacionais e internacionais se inspiraram na África. Tema popular entre as runways e cool hunters, mas raramente abordado nos debates sociais. Não é mimimi. Para muitos não é claro os danos que a apropriação cultural pode causar. No meio da moda, a apropriação visa gerar lucros com vários aspectos de culturas menos privilegiadas, sem permissão e com uma compreensão ligeira sobre o objeto aspiracional. Descartando o valor das tradições e rituais para o grupo e constantemente, reforçando esteriótipos negativos e incorretos. Mesmo de forma ingênua.
SS17M-Vuitton-035-1542x1026

É possível inspirar-se sem apropriar-se 

Esta semana a Louis Vuitton exibiu no seu desfile de primavera 2017, a coleção masculina inspirada nas memórias de infância do diretor Kim Jones, que nasceu em Londres mas foi criado na Ethiopia, Kenya, Botswana e Tanzania.
Com a vivência de Jones, foi possível ver uma versão menos estereotipada do continente. Sem tribais, tributos a safaris, modelos com rostos pintados, batas africanas (o conhecido dashiki) e turbantes, a coleção apresentou tons sóbrios, com verde militar, azul prussiano, cáqui e taupe. Estampados xadrez e de zebra, casacos de crocodilo (totalmente contra!) e suéteres inspirados nas mantas Masai. O erro aparece quando apenas 7 modelos negros desfilavam, entre os outros 28 modelos brancos.

Um ponto sem hipocrisia: Diariamente nos apropriamos de aspectos de outras culturas, muitas vezes sem conhecer a origem do objeto ou conceito. É praticamente impossível não fazer isso, considerando que estamos altamente conectados via internet, propagandas, viagens, tendências e arte. Na moda não é diferente. Todos se inspiram em tudo. O problema está no limite do “tudo“.
Continue Reading